Aprenda a fazer um minhocário e produzir adubo em sua casa.

Aprenda a fazer um minhocário e produzir adubo em sua casa.

Ter um minhocário em casa traz uma série de benefícios, pois além de diminuir os resíduos sólidos orgânicos de sua casa, produz o melhor adubo orgânico.

Uma composteira (que é chamada de minhocário também) é onde acontece a compostagem. É um local aonde onde todo seu lixo orgânico é transformado em húmus de minhoca.

Mais da metade do lixo doméstico é orgânico (basicamente casca e resto de planta), que degradam de forma inadequada, podendo trazer mal cheiro, poluição e atraindo animais nocivos à saúde.

O que é um minhocário?

Um minhocário é um aparato que vai transformar matéria orgânica em adubo.

No caso, os resíduos sólidos domésticos (o lixo de casa) de origem vegetal, como as cascas e restos de frutas, verduras e legumes.

Só não vai na composteira alimentos temperados, cascas de alimentos ácidos, e alimentos de origem animal.

Seguindo essas regras, a composteira vai durar e não vai exalar mau cheiro.

Alguns dos materiais para se fazer a composteira são as minhocas, que vão fazer as compostas.

Terra, que é parte fundamental do processo, é a mistura da terra com os alimentos que faz o adubo.

Palha, que é a matéria orgânica seca, necessária para a formação do húmus, assim como a terra e a matéria orgânica úmida (lixo da casa).

E os baldes. A composteira é formada por três baldes grandes e do mesmo tamanho:

Primeiro balde.

Tem a tampa cortada e possui uma torneira perto do fundo.

Serve para armazenar o chorume produzido pelas minhocas (rico nutrientes e excelente para adubar).

Segundo balde.

Tem a tampa furada e o fundo furado.

É onde acontece o processo de compostagem – transformação do resíduo sólido doméstico em húmus.

Terceiro balde.

Tem somente o fundo furado.

Esse balde é onde fica armazenado o lixo de casa.

Coloca-se terra, os restos de alimento e palha por cima, tanto para proteger as minhocas como para evitar a entrada de outros bichos.

Porque ter um minhocário?

Dar destino devido aos resíduos orgânicos pode mudar o cenário urbano, pois os aterros sanitários terão uma nova estrutura.

Apesar de não ser um método muito conhecido, a compostagem vem ganhando cada vez mais espaço na luta pela diminuição de resíduos sólidos orgânicos domésticos.

Quando esse material orgânico chega nos aterros sanitários, os famosos lixões, podem se misturar com outros lixos, como pilhas, baterias, papéis higiênicos, fraldas usadas.

Nessa situação, o chorume produzido pela degradação do lixo orgânico (que é mais rápida que esses outros materiais) podem acabar levando para o solo e lençóis freáticos resíduos desses outros produtos.

Sem contar, que o lixo orgânico a céu aberto produz o gás metano, muito mais prejudicial para o efeito estufa do que o gás carbônico.

Possuindo um minhocário em casa, dá para produzir adubo para as plantas do jardim, economizando em fertilizantes (ao mesmo tempo que dá destino aos lixo orgânico).

A minhoca ideal para se utilizar na composteira.

A minhoca que comumente é utilizada para se trabalhar um com um minhocário é a minhoca californiana – da família dos anelídeos (nome científico: Eisenia foetida).

Essa minhoca é mais efetiva por ser uma minhoca que se adapta bem a condição de cativeiro.

Ela faz a maior parte do trabalho da compostagem por ser detritófaga mas tem a ajuda de microrganismos que também cumprem com esse papel, pois com o alimento degradado pela minhoca, o trabalho do microrganismo fica mais fácil.

Minhocas que são criadas em cativeiro podem viver uma média de 10 a 12 anos, fazendo delas bichos de estimação muito úteis ao lar.

Existem várias espécies de minhocas que se reproduzem por partenogênese, mas no caso da minhoca da california sua reprodução é sexuada – e são todas hermafroditas.

Envie seu comentário